empoderamento, vivências

Crise dos 30 ou a hora de se reinventar

Este ano completo 29 anos, mas isso só acontecerá no final de 2017. Tenho e sempre tive problemas com aniversários, não por medo da velhice, mas sim por pensar que cada aniversário preciso passar pelo constrangimento de receber cumprimentos de pessoas no trabalho, na escola, na faculdade, na família e por aí vai. Nunca tive sorte com comemorações também ou as pessoas desmarcavam em cima da hora ou simplesmente desapareciam.

Sempre fui uma garota extremamente tímida e introvertida. Chegando aos meus 19 anos, aprendi a me comunicar um pouco mais e acabei descobrindo características em mim, que passei a vida escondendo.

O fato de ser uma garota negra, talvez tenha contribuído para que eu fosse sempre tão tímida (talvez). Certamente era muito mais fácil não querer conversar com alguém, aquele carinha que estava a fim na escola e dizer que era tímida, do que suportar a rejeição. Atitude covarde? Talvez. Mas era o que estava ao meu alcance.

Tantos anos se passaram. Me descobrir como mulher negra não foi um acontecimento, até porque a sociedade sempre fez questão de me lembrar que tinha a pele escura e o cabelo “duro”. Sempre soube que era negra, porém sempre acreditei que este era um fardo, um peso que teria que carregar por toda a vida. Até o momento em que me encontrei e me descobri de fato.

Passei por transições capilares, juntamente com o meu próprio empoderamento. Aprendi a trancos e barrancos sobre a solidão da mulher negra e que estar sozinha não era somente um problema meu, porque era feia ou porque tinha um cabelo crespo. Se os homens não me enxergavam, certamente o problema estava neles e não em mim. Não leiam e interpretem essas palavras como um convencimento e arrogância, quem vos escreve ainda é cheia de inseguranças e incertezas, porém muito mais confiante do que anos atrás.

kelly-souza
Euzinha pequenina

 

Aproximar dos 30 anos me faz parar para pensar  se realmente estive todo esse tempo no caminho certo ou se ainda é tempo de mudança. Na verdade, acredito que sempre há espaço e tempo para mudanças. Ler um livro novo, voltar a estudar, comer num restaurante diferente ou até mesmo um novo emprego. Sempre há tempo.

O blog Beleza Black Power foi uma das minhas válvulas de escape. Onde coloquei vários descontentamentos, escutei “mas você vê racismo em tudo” e um filho que aprendi a amar. Quando comecei a escrever, não tinha ideia do quão importante ele se tornaria em minha vida.

Aos quase 30, talvez minhas pretensões com o Blog e o canal no YouTube não sejam as mesmas de quando comecei (o que não faz muito tempo), mas felizmente as pessoas mudam e mudam quase sempre para melhor.

Espero muito que possamos nos ajudar por aqui (vocês não imaginam como fico feliz quando vocês me escrevem contando suas experiências, contem mais, por favor). Continuaremos falando sobre nossos cabelos crespos, nossas peles escuras e por que não sobre algumas de nossas tristezas? Acredito que quando se sonha junto o sonho pode ser realidade (old but gold).

Pode vir 30! Estou te esperando de braços abertos.

oie_transparent

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s