cinema, empoderamento, representatividade

Hidden Figures | Estrelas Além do Tempo

Bom, assisti “Estrelas além do Tempo” um dia após a sua estreia, mas até hoje estive impossibilitada de escrever sobre o filme.

Criei um tipo de bloqueio que nunca me aconteceu. Tentei por diversas vezes escrever sobre o tanto que o filme é maravilhoso por mostrar a situação de mulheres negras nessa sociedade machista e racista, porém não encontrei palavras e muito menos força.

O mais estranho pra mim é que escrever passou a ser algo que faço com gosto e que alivia a alma. Escrevi e falei nos vídeos sobre Kunta Kinte, 12 anos de Escravidão, 13ª Emenda e outros, obviamente com um aperto no coração constante, mas consegui expressar em palavras tudo o que sentia. A emoção sempre aparece nos textos assim como nos vídeos, quem me acompanha sabe como sou emotiva e sentimental.

Fiquei durante todos estes dias em que o bloqueio permaneceu, pensando o motivo e que eu deveria, sim escrever sobre este filme. Justamente pelo tanto que me impactou e o tanto que essa história merece prêmios e mais prêmios, assim como seu devido reconhecimento.

Falar sobre três mulheres negras (Katherine Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson) que driblaram o racismo para fazer algo muito maior, muito me emocionou e ao mesmo tempo me trouxe revolta por motivos que todos nós sabemos.

hiddenfigurestheblackmedia2016.png

estrelas alem do tempo..jpg

Essas três mulheres que tiveram suas histórias por tanto tempo escondidas, faziam parte de um grupo de mulheres da NASA denominado “computadores humanos” e já existia mesmo antes da corrida espacial (final do século XIX).

“O Harvard College Observatory empregava um grupo de mulheres que colecionava, estudava e catalogava milhares de imagens de estrelas em placas de vidro. Conforme relatado no livro, essas mulheres eram tão capazes quanto os homens apesar de trabalhar em condições menos favoráveis. Williamina Fleming , por exemplo, classificou mais de 10.000 estrelas usando um esquema que ela criou e foi a primeira a reconhecer a existência de anãs brancas . Enquanto trabalhava seis dias em um trabalho exigindo grande esforço, elas ainda deveriam manter as normas sociais de ser uma boa esposa e mãe.” Popular Mechanics tumblr_oitwz7a5vN1ue248wo4_400.gif

Segundo o site Popular Mechanics os “computadores” negros recebiam salários inferiores aos brancos e ficavam segregados numa parte do campus da NACA  (Comitê Consultivo Nacional de Aeronáutica, um precursor da NASA), onde usavam cozinhas e banheiros separados e isso é bem enfatizado no filme. Além disso, os computadores negros não podiam cursar engenharia ou cursos que eram ocupados por homens brancos, mesmo que passassem em promoções ou em outros trabalhos dentro do Comitê.

Katherine Johnson, interpretada maravilhosamente bem por Taraji P. Henson (Empire), além de ter sido uma garota prodígio, estava entre as três primeiras mulheres negras a estudar na Faculdade Estadual da Virgínia e logo após foi convidada para trabalhar na NASA. Johnson é a protagonista do filme e tem boa parte das cenas muito bem interpretadas por Taraji. Katherine Johnson se aposentou na NASA em 1986 e em 2015 recebeu das mãos de Barack Obama a Medalha Presidencial da Liberdade (a mais alta condecoração civil dos Estados Unidos) e apesar de todos os elogios e homenagens, Johnson só insistiu em dizer que estava apenas fazendo seu trabalho e que aquele “era apenas mais um dia de trabalho”.

Katherine Johnson.png
Katherine Johnson e Taraji P. Henson

Dorothy Vaughan, interpretada por Octavia Spencer (indicada ao Oscar 2017 de Melhor Atriz Coadjuvante) foi um dos primeiros computadores da NACA. Tornou-se a primeira supervisora negra do Comitê e especialista na linguagem de programação FORTRAN.

Octavia Spencer em entrevista para o Popular Mecanics afirmou que Vaughan era mais uma mulher que passava pelo racismo e machismo que todos os outros computadores passavam “O conflito de trabalhar fora da casa para proporcionar a melhor vida para seus filhos e, no entanto, não estar fisicamente lá. Mas ela sabia que ela estava mudando o mundo.” Spencer é sempre sensacional em suas atuações e a indicação para o Oscar foi mais do que merecida, estamos na torcida.

Dorothy Vaughan.png

Janelle Monáe interpretou a terceira “figura escondida” Mary Jackson. Mary era graduada em Matemática e Ciências Físicas e trabalhou durante muitos anos na NASA. O filme destaca bastante a determinação de Mary Jackson para conseguir estar entre os engenheiros da NASA. A história nos conta que Mary foi promovida a engenheira em 1958 tornando-se a primeira e única (por muitos anos) engenheira negra.

Mary Jackson.png

O filme é baseado no livro “Hidden Figures: The American Dream” escrito por Margot Lee Shetterly e dirigido pelo jovem  Theodore Melfi. Está em cartaz nos cinemas e caso você ainda não tenha visto, não perca mais tempo e veja.

“Estrelas Além do Tempo” como ficou o título de “Hidden Figures” no Brasil, foi indicado ao Oscar 2017 à categoria de Melhor Filme e de melhor roteiro adaptado, enquanto muito merecidamente Octavia Spencer concorre a estatueta de melhor Atriz Coadjuvante. Além da importância dessas mulheres para a história norte americana, podemos notar constantemente o forte apelo pelo sentimento patriota e do sonho americano em cada cena.

Aquela angústia e aperto no peito que senti até hoje e que não me permitiu escrever uma linha sequer sobre a história dessas mulheres maravilhosas, talvez tenha sido pelo fato de que o filme nos mostrou o quanto devemos ser dez vezes melhores que as pessoas brancas. O que era terrivelmente cruel à época nos EUA, muito pela segregação racial no país, ainda é vivenciado por nós em 2017, quando numa turma de cientistas, dentistas, engenheiros e médicos podemos contar nos dedos as pessoas negras (quem dirá mulheres negras).hidden.gif

Nosso caminho é de fato muito mais árduo. Você pode ter dinheiro para estar entre os lugares tipicamente e historicamente embranquecidos, mas jamais será como eles e a sociedade deixa isso cada vez mais explicito.

E que sejamos nós por nós cada dia mais. A cada passo dado, podemos sentir o quanto somos capazes e que podemos estar em qualquer lugar, mesmo que contra a vontade da nossa sociedade embranquecida.

Sejamos firmes.

 

Anúncios

1 thought on “Hidden Figures | Estrelas Além do Tempo”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s