empoderamento, feminismo

Se o amor tem cor? Provavelmente é branco.

Sempre quando vejo algum texto falando sobre a solidão da mulher negra, penso mil vezes antes de ler. Motivo? Tenho sempre a certeza de que me identificarei com as questões levantadas e no final cairei aos prantos.

Afinal, o amor tem cor? Podemos dizer que sim, desde que levemos em consideração a questão da mulher negra. Segundo a pesquisa realizada pela pedagoga e Mestre em Ciências Sociais Claudete Alves, divulgada no livro “Virou Regra”, a mulher negra sempre foi preterida nos relacionamentos, vivenciando uma solidão mesmo que seja a dois, em algumas das vezes. De acordo com Claudete, “A mulher negra enfrenta a solidão independente do extrato social. Não se trata de uma exceção, é a regra, um sintoma histórico que indica um comportamento real, as mulheres negras não têm (em sua grande maioria) a experiência do amor”.

Nós, mulheres negras somos normalmente a segunda ou terceira opção dos homens negros ou brancos. A preferência por mulheres brancas,  só aumenta conforme a classe social. Normalmente, os homens veem a mulher branca como algo merecido, juntamente à sua ascensão social

Sonhar com príncipe encantado, um casamento ao ar livre está muitas vezes embutido em quase todas as mulheres, mas não faz parte da realidade das mulheres negras. Muitas vezes mães solteiras (não que isso seja um problema, mas estamos relatando a questão da solidão) ou até mesmo vivenciando um relacionamento onde não pode ser vista.

grafico_mulheres_negras

A imagem da mulher branca sempre é idealizada como a mulher para casar, para se apresentar aos amigos e ter filhos, enquanto a mulher negra é vista como mero objeto de desejo (Vide Globeleza, assunto para outro post). O padrão de beleza branco ainda impera e dita as regras.

Quem nunca viu ou vivenciou um relacionamento onde a mulher nunca foi apresentada à família ou caminhou de mãos dadas com o seu companheiro? Tornou-se fato constante, infelizmente.

A questão que quero levantar é a seguinte, lutamos para levantar nossa auto-estima e de nossas irmãs. Sabemos que devemos ser fortes, mas até quando seremos preteridas? Até quando seguiremos sozinhas? Até quando nossas amigas serão sempre as escolhidas?

mulher_negra_solidão.jpg
Fonte: Geledés – Trecho extraído do texto: O amor tem cor, de Caroline Louise

Quantas vezes quando ainda era adolescente, saíamos e as garotas de pele clara (algumas vezes loiras) eram as escolhidas da balada? Quantas vezes na escola não éramos escolhidas para dançar nas festinhas? A solidão nos acompanha desde sempre.

Empoderar, cuidar da nossa auto estima e amor próprio pode fazer com que nós mulheres negras, continuemos a resistir.

____________________________

Sugestão de leitura

A solidão tem cor.

http://www.revistaforum.com.br/semanal/a-solidao-tem-cor/

O Amor tem cor.

http://www.geledes.org.br/o-amor-tem-cor/

A solidão da mulher negra e o racismo cotidiano

http://lugardemulher.com.br/a-solidao-da-mulher-negra-e-o-racismo-cotidiano/

 

BBP

 

Anúncios

2 thoughts on “Se o amor tem cor? Provavelmente é branco.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s